Saiba o que fazer caso o novo Coronavírus chegue na sua casa


Entre os termos mais comentados nestes tempos de pandemia estão o isolamento social, o isolamento domiciliar e a quarentena. As palavras, que parecem ter significados iguais mas que, na verdade, são um pouco diferentes, estão sendo usadas erroneamente para significar o ato de somente sair de casa fazer o essencial, como ir ao mercado ou farmácias.

A diferença entre os termos, no entanto, é sutil. Enquanto quarentena significa a reclusão de indivíduos sadios em uma sociedade, geralmente determinada pelo governo por um período variável de tempo, o ato de se isolar é diferente: após ter tido contato com uma pessoa contaminada, é recomendado que você faça isolamento domiciliar, ou seja: tranque-se em um quarto e não tenha contato algum com outras pessoas. Já o isolamento social é preventivo e funciona de maneira similar à quarentena, porém sendo facultativo e com objetivo de evitar propagação da contaminação. Significa optar por não sair de casa para não aumentar o trânsito do coronavírus, evitando-o de trazê-lo para casa. Dependendo da gravidade da epidemia no país, esta ação pode durar um período menor.

Portanto, pessoas contaminadas, que já receberam o diagnóstico de COVID-19 ou que estão apresentando sintomas, devem ficar em isolamento domiciliar para que a doença não se espalhe ainda mais, visto que o novo coronavírus tem como sua maior característica a rápida propagação.

Imagem: Reprodução

Para quem mora sozinho, a tarefa de cumprir o isolamento em casa é mais fácil. Porém, quem divide a casa com outras pessoas precisa fazer um esforço maior nesse período, caso ninguém mais esteja contaminado. Evitar que uma pessoa que more com outra contaminada não seja afetada é uma tarefa difícil, mas não impossível. Se você se encontra nessa situação ou tem alguém em casa que foi contaminado pelo coronavírus, fique tranquilo: o Canaltech trouxe algumas dicas de como fazer um isolamento seguro e manter as outras pessoas livres da doença.

Separe um cômodo da casa

Pelo fato de o novo coronavírus ser de alta propagação, podendo resistir por dias em alguns tipos de superfícies, é crucial que uma pessoa contaminada fique em apenas um cômodo — isso é chamado de isolamento domiciliar e dura, em média, 14 dias a partir do último possível contato com o vírus, sempre de olho nos sinais e sintomas. Neste quarto em que ela vai ficar, é importante deixar uma janela aberta para o ar circular e mantenha a porta fechada. Em relação ao uso dos banheiros, o cenário perfeito também seria um exclusivo para quem está com a COVID-19, mas como não é essa a realidade de muitos brasileiros, esse cômodo vai precisar ser compartilhado.

Nesta situação, portanto, é preciso que este paciente deixe o quarto para ir ao banheiro de máscara e luvas, e se possível também de sapatilhas descartáveis. Após o uso, uma pessoa deve ficar responsável pela higienização deste trajeto, também usando os acessórios de proteção, evitando ao máximo tocar em objetos que podem ter sido contaminados. Sabonetes, toalhas, escova e pasta de dentes também precisam ficar separados.

Evite conversar na porta do cômodo em que a pessoa está isolada; prefira usar o telefone ou mensagens de texto. Quanto maior a distância entre as pessoas, menor a chance de contaminação.

Imagem: Reprodução

E a alimentação?

Neste momento delicado, é preciso contar com a colaboração de todos dentro de casa, seja para fazer a comida do paciente quanto para lavar essa louça. Escolha itens que serão exclusivos dessa pessoa, como pratos, copos, xícaras e talheres, e use somente esses para levar os alimentos a ele. Se possível, arranje uma bandeja para o transporte ficar mais fácil.

Com a comida feita e servida nos pratos devidamente separados, leve até o cômodo em que a pessoa está isolada e deixe a uma boa distância da porta. Depois que você deixar o local, a pessoa deve pegar os alimentos e se fechar no quarto novamente. Para a remoção da louça, o mesmo procedimento deve ser realizado, sempre como uso de máscaras e luvas, e a higienização do trajeto também deve ser feita com água sanitária ou álcool 70%.

Lave esta louça separadamente, assim como peças de vestuário e roupas de cama. É ideal, também, que o paciente tenha o sue próprio saco de lixo dentro do quarto, que deve ser fechado com bastante segurança na hora da remoção. Não custa lembrar: a cada contato com o que um paciente que contraiu a COVID-19 tocou, lave as mãos com água e sabão e faça a higienização correta.

Toda limpeza é pouca

Por se tratar de um vírus novo, estudos ainda vêm sendo feito sobre ele e a sua propagação, que já sabemos que é fácil e rápida. Portanto, quanto mais cuidado existir, melhor. Mesmo que a pessoa diagnosticada com a doença ou apresentando sintomas esteja isolada, a higienização da casa nunca é demais. Faça, com frequência, a limpeza correta de locais que mais recebem o toque das mãos, como maçanetas, torneiras, pias e descarga, além do chão e possíveis corrimãos.

Higienize com frequência também os seus objetos, como controle remoto da televisão, aparelhos celulares, tablets ou computadores, e na hora de lavar as mãos, prefira, se possível, papéis toalha descartáveis, evitando que o vírus permaneça em toalhas comuns e compartilhadas. Evite ainda que a pessoa contaminada passe muito tempo com a mesma roupa de cama, pois esta precisa ser lavada com regularidade, assim como as suas roupas. Tudo isso sempre separado do que é de uso comum, é claro.

A pessoa que está isolada também pode ter o seu próprio material de limpeza dentro do seu cômodo, fazendo a sua higienização com frequência, evitando assim que o novo coronavírus seja transportado de outras formas para o restante da casa.

Imagem: Reprodução

Outra alternativa

Caso more mais de uma pessoa em uma mesma casa e uma delas foi diagnosticada com a COVID-19, ou está apresentando sintomas, uma outra alternativa seria que o restante dos membros da residência se movessem temporariamente com parentes ou amigos, deixando o ambiente apenas para quem está contaminado. Neste caso, porém, a pessoa que contraiu o novo coronavírus precisa estar atenta às mesmas medidas de higienização citadas acima, evitando que o vírus continue no local e surpreenda os moradores quando eles voltaram.

Neste cenário da pandemia do novo coronavírus, é ideal a colaboração entre as pessoas e que cada uma faça a sua parte, evitando que a COVID-19 continue sendo a causa da lotação de hospitais e deixando várias pessoas na busca pela ajuda médica, seja para atendimento comum ou na Unidade de Terapia Intensiva.

Quanto mais pessoas respeitarem o isolamento social, caso seja possível, menos o novo coronavírus irá se propagar e, consequentemente, menos pessoas serão contaminadas e menos os hospitais ficarão lotados, amenizando o cenário até que haja uma vacina, cura ou ainda até que o vírus desapareça por completo.

Fonte: via e via


Redação

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *