Estudante deixa comida cair em prova online e o pior acontece


Uma estudante da Universidade de Geórgia teve que pensar em uma forma de explicar ao seu professor que deixasse fazer uma prova online mais uma vez sem parecer que era uma desculpa esfarrapada. Durante a quarentena, muitas universidades continuaram seu cronograma pela internet, com aulas à distância e também provas.

Sam Lee, uma estudante de 20 anos, resolveu comer um sanduba de almôndega na hora da prova, já que estava em casa e ninguém estava vendo. Entretanto, um desastre ocorreu quando ela tinha respondido só algumas questões: uma almôndega caiu de seu sanduíche, e não caiu em qualquer tecla, mas na tecla Enter, sinalizando o fim da prova.

Por causa da almôndega, Sam tirou 39.17 na prova, que ia até 100 (ou seja, aqui seria 3.9 numa prova que vale 10). O desespero foi grande, e após momentos encarando a tela sem conseguir pensar em nada, ela teve que mandar um e-mail vergonhoso para o professor William D. Lastrapes.


“Querido professor Lastrapes. Eu tive algumas dificuldades técnicas e distrações exteriores durante a prova de hoje. Algo atingiu o meu computador e fez com que a prova fosse enviada com menos da metade das questões respondidas”. Porém, ela teve que abrir o jogo: “por ‘algo’ eu quero dizer uma almôndega que tragicamente caiu no teclado enquanto eu fazia a prova”.

Ela continua pra que ele não pensasse que fosse uma desculpa do tipo “meu cachorro comeu a lição”: “Enquanto eu ainda tenho que compreender como essa sequência de eventos ocorreu…eu te enviei em anexo evidências primárias de que isso aconteceu”.


O professor, pra sorte dela, foi compreensível: “Bom, essa certamente é uma nova e incomum desculpa pra uma nota ruim! Mas por isso parece improvável que você tenha inventado essa história”. Ele deu então a ela até meia-noite daquele dia pra refazer a prova. E no final deixa o conselho: “e eu recomendo que você faça a prova ANTES ou DEPOIS do jantar”.


A moça postou sua história trágica no Twitter, que lhe rendeu muitos likes:

Fonte: via


Redação

59 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *