“Eu ando de moto e não de submarino” diz homem que foi solicitado para uma entrega impossível


Cada país, hoje em dia, tem o seu principal aplicativo de entrega. Aqui no Brasil é o iFood, e muitas vezes coisas estranhas acontecem com quem pede ou trabalha com com o delivery, como foi um caso em São Carlos.

Pelo jeito, no entanto, não é só por aqui que tais coisas acontecem. Em Singapura, o principal aplicativo de entrega de lá é o GrabFood. Muitos motoboys ganham a vida assim, fazendo entrega pelo app, e um deles tem o apelido de Ruzzy.

Ruzzy fazia mais um dia de trabalho quando recebeu um pedido muito difícil. Nada no pedido era estranho. A questão era o endereço: a ilha Pulau Seletar. Se trata de uma ilhazinha próxima à costa da cidade, mas sem acesso algum a não ser através de barco . As pessoas costumam ir de caiaque pra lá, ou então pagar os “táxis marítimos” que ficam por ali.

Mas de moto? Era impossível. Pensando se tratar de um trote ou até de um bug, o motoboy entrou em contato com a assistência do aplicativo pedindo que o pedido fosse cancelado sem nenhum ônus pra ele.

Mas pra sua surpresa, o atendente lhe informou que ele teria que fazer a entrega porque o pedido estava “dentro da distância aceitável pro tipo de veículo dele”. O homem, revoltado, respondeu: “devo então nadar até lá?”. Mas nada feito. Se ele cancelasse a entrega, sofreria as consequências. 


Ele postou sobre seu problema no Twitter, e o tweet viralizou. O tweet agora foi apagado, por algum motivo que não sabemos


Mas o Asia One registrou tudo, pra nossa sorte:

“O Cliente colocou a localização como Seleta Island, e não posso ir fisicamente até lá. Eu dirijo moto, não submarino. Dá pra cancelar ou me dar outro pedido?”. Então o atendente pede um momento e depois responde que a distância está no alcance aceitável e ainda pede que ele gentilmente entregue no endereço registrado.


Com seu tweet se espalhando no Twitter, o homem aproveitou o momento e comentou que iria dar uma “nadadinha”. Na verdade ele cancelou o pedido, fazer o quê? Ficou com medo de sofrer alguma punição. Mas logo a GrabFood se posicionou na rede social:

“A ilha Seletar definitivamente não está no alcance aceitável!”. A empresa pediu desculpas e informou que o atendente passará por “treinamento adicional”. Depois, eles ainda entraram em contato no privado pra pedir desculpas ao Razzy, depositaram 15 dólares na carteira dele do aplicativo e informaram que tentaram entrar em contato com quem pediu aquele lanchinho na ilha, mas que não obtiveram resposta alguma.

Fonte: Ovelhas Voadoras – Imagem: Twitter / @rxzhael, YouTube screengrab


Redação

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *